Pages

quinta-feira, 3 de novembro de 2011

Monastério de Deyrulzafaran

















O Monastério de Deyrulzafaran está localizado há cerca de 4 km da cidade de Mardin, no sudeste da Turquia, e é um importante lugar de peregrinação para os cristãos ortodoxos sírios. Ainda em funcionamento ( como escola e templo ), o monastério foi fundado em 493 D.C, na época do império Bizantino, e por 640 anos, até 1932, foi a residência oficial do patriarcado ortodoxo sírio. Hoje, o monastério serve, também, como residência do arcebispo de Mardin. O monastério conta com várias capelas, quartos de hóspedes para os monjes e visitantes, além de salas de estudo e meditação. O nome Deyrulzafaran deriva da flor conhecida pelo nome de saffron, que cresce ao redor do monastério. Deyrulzafaran foi uma das primeiras igrejas cristãs da anatólia. Na região de Mardin vivem cerca de 350 sírios ortodoxos, que convivem harmonicamente com a população majoritariamente muçulmana do local. Quando as mesquitas fazem os chamados para as orações, é possível ouvir os sinos tocarem em Deyrulzafaran, mostrando que é possível conviver em paz e harmonia, em um mesmo lugar, mesmo com práticas religiosas diferentes. Existe uma lenda de que o monastério abriga escorpiões desde a sua fundação, e que esses escorpiões nunca teriam picado ou ferido nenhum monje, o que seria considerado milagre. Lenda ou não, fato é que Deyrulzafaran é considerado um lugar santo, e até hoje é escolhido para a realização de casamentos e cerimônias religiosas. Minha experiência pessoal é a de que o monastério é realmente um lugar onde o visitante sente uma paz inexplicável!

Foto 1: Vista do Monastério, da estrada;

Foto 2: Primeira entrada para o complexo de Deyrulzafaran;

Foto 3: Parte do complexo e estacionamento;

Foto 4: Entrada do monastério;

Foto 5: Parte interna do monastério;

Foto 6: Escadaria interna;

Foto 7: Pátio interno;

Foto 8: Parte superior, acesso aos quartos de hóspedes.

Um comentário:

Mari disse...

O monastério parece estar num lugar bem isolado, como era de costume antigamente. Apesar da simplicidade é de uma beleza pura, sem muito adorno que de certa forma combina com o ambiente à volta.

Gostei da mistura dos sinos e chamada pra oração. Quem dera todos vivessemos assim em harmonia.
Mais um belo post, amiga!
Beijos