Pages

segunda-feira, 12 de setembro de 2016

Cidade antiga de Tróia (Truva em turco)

Está localizada na Turquia, próximo a cidade de Çanakkale, as ruínas da cidade antiga de Tróia, considerada patrimônio cultural da Unesco e imortalizada no filme de mesmo nome, estrelado pelo famoso ator Brad Pitt.
Tróia ficou famosa por ser citada pelo escritor grego, Homero, em sua obra Ilíada, onde é descrita a guerra de Tróia.
Na verdade o local conhecido como a cidade de Tróia foi habitado por diversas civilizações ao longo de 4 mil anos de história. Durante as escavações os arqueólogos descobriram diversos níveis de profundidade de cidades que foram sendo construídas uma em cima da outra, ao longo dos anos.
Ainda existe uma discussão entre os arqueólogos sobre o fato de ser realidade ou não a guerra de Tróia. Caso tal guerra tenha de fato ocorrido, ela teria se passado no que os estudiosos chamam de Tróia VII, ou seja, a sétima de cidade de Tróia, a citada por Homero.
As primeiras escavações no local começaram em 1870, pelo famoso arqueólogo alemão Heinrich Schliemann. Do ponto de vista científico, a descoberta de Tróia foi considerada um marco para estabelecer quando teria sido o primeiro contato das civilizações da anatólia com as civilizações do mediterrâneo.
Tróia é considerada pela Unesco um dos mais importantes sítios arqueológicos do mundo!



Réplica em tamanho real de como seria o cavalo de Tróia, citado no poema de Homero

Imagem frontal da réplica do cavalo de Tróia

Cavalo de Tróia por dentro, onde os soldados e Aquiles teriam se escondido para entrarem na cidade de Tróia

Vista das ruínas de Tróia

Marcações feitas pelos arqueólogos onde se pode observar os níveis das cidades que foram sendo construídas no local 

Outra vista das ruínas de Tróia

Mais ruínas de Tróia

O que teriam sido poços de água na cidade de Tróia

Ruínas de um teatro troiano

Colunas de algum palácio ou templo troiano

Um dos vigias das ruínas, sempre atento e observando os movimentos :)

domingo, 21 de agosto de 2016

Fethiye Ölüdeniz (Mar morto)

É verão na Turquia, e nada melhor que falarmos sobre uma praia maravilhosa, considerada uma das 5 praias mais lindas do mundo: Fethiye Ölüdeniz.
A praia de Ölüdeniz (mar morto) está localizada  a 14 km do balneário de Fethiye,  província de Mugla, na chamada costa turquesa da Turquia, no ponto de conjunção entre o Mar Mediterrâneo e o Mar Egeu. O que mais impressiona nessa praia são suas águas calmas, límpidas e transparentes. O local também é muito procurado pelos praticantes do paragliding, que podem realizar seus saltos diretamente do monte Babadag, tendo como vista panorâmica de vôo a beleza da praia e de toda a região. Outro esporte muito praticado é o scuba diving, onde através das águas transparentes os mergulhadores podem apreciar toda a rica fauna existente no local.
Ölüdeniz recebeu o certificado internacional de "Blue Flag Beach" (praia de bandeira azul) , que significa que o local segue as normas de preservação ambiental.
Além da parte de mar, Ölüdeniz possui uma lagoa, chamada de Lagoa Azul,  de água salgada, que é considerada reserva natural, onde as construções são proibidas.
O ingresso na praia e lagoa se dá mediante pagamento de ingresso único e não é permitida a entrada com alimentos. A alimentação e a bebida podem ser compradas no local.
Também são cobradas taxas para o uso das cadeiras e dos guarda-sóis.




                                                            Vista da Lagoa Azul




                                                            Outra vista da Lagoa Azul



                                           Parte da praia, com o sobrevôo do  paragliding



                                                                     Área da praia



                                                                      Mais praia
                                                       


                                                                    Vista da praia


                                                Vista da praia com as montanhas ao fundo



Vista aérea da praia (foto tirada da internet)

terça-feira, 19 de julho de 2016

Shahmaran ou Shahmeran (Şahmeran)



Alguns dos meus seguidores tem me perguntado sobre a figura mitológica que aparece em quadros nas paredes de novela Sila, então resolvi escrever sobre a lenda de Shahmaran ou Şahmeran em turco, a rainha das cobras. Shahmaran é uma criatura mítica, metade cobra, metade bela e sábia mulher, mencionada no folclore de todos os povos do oriente médio (curdos, turcos e árabes) e até da Índia. A lenda é contada em diferentes versões, uma delas está presente em uma das estórias das mil e uma noites, na estória de Jemlia.

Vou contar aqui a versão mais popular dessa lenda:


Um jovem lenhador chamado Tahmasp saiu com seus amigos para a floresta e enquanto pegavam lenha encontraram um buraco cheio de mel. Eles decidiram, então, levar para casa todo aquele mel. Tahmasp desceu no buraco para pegar o mel, quando os amigos pegaram todo o alimento, decidiram deixar Tahmasp para trás, dentro do buraco. Quando ele já tinha perdido todas as esperanças de sair daquele buraco ele viu uma passagem e conseguiu passar para o outro lado e adormeceu. Quando acordou se viu rodeado por milhares de cobras, pensou que a hora de sua morte tinha chegado e começou a rezar. Quando abriu seus olhos novamente ele viu uma linda mulher, metade cobra metade mulher. A criatura disse a ele, eu sou Shahmaran, a rainha das cobras e você é nosso convidado, não vamos machucar você. Tahmasp pensou estar sonhando e voltou a dormir. No dia seguinte quando acordou, Shahmaran o convidou para um café da manhã e os dois começaram a conversar, a rainha das cobras lhe contava sobre a história da humanidade. Os dois se apaixonaram perdidamente e muitos anos se passaram. Depois de tanto tempo, Tahmasp sentiu saudades da família e disse a Shahmaran que queria voltar e rever seus familiares. Ela ficou muito triste mas permitiu que seu amado voltasse ao seu mundo, mas o fez jurar que nunca contaria a ninguém a localização do seu reino e recomendou que Tahmasp não deixasse que ninguém o visse tomando banho, pois o contado com a água iria revelar suas escamas de cobra. Um dia o rei adoeceu e a cura para a sua enfermidade seria comer a carne de Shahmaran. Os soldados saíram pelo povoado a buscar quem saberia o segredo da localização da rainha das cobras. Após muita procura encontraram Tahmasp e após torturá-lo muito, ele acabou contando a localização de Shahmaran. Tahmasp ficou muito envergonhado ao ver seu grande amor e olhar em seus olhos a decepção e tristeza. Quando estava sendo capturada, Shahmaran disse a Tahmasp, quem comer da minha cabeça morrerá instantaneamente, porém, quem comer do meu rabo será curado de qualquer enfermidade e terá sabedoria. O soldado que não tinha intenção nenhuma de dar a cura para o rei, comeu imediatamente seu rabo e morreu depois de um tempo. Tahmasp ficou tão triste com a morte de seu amor que comeu um pedaço da cabeça, com a intenção de morrer imediatamente. O que aconteceu foi que Shahmaran na eminência de sua morte, quis deixar toda sua sabedoria para Tahmasp, por isso enganou ao soldado ao dizer que a cura e sabedoria estavam em seu rabo, quando na verdade quem comesse seu rabo morreria. Tahmasp então se transformou em um grande sábio e decidiu passar o resto de sua vida vagando pelas montanhas, com a dor pela morte de seu grande amor. Enquanto isso, no reinado das cobras, ninguém sabe que Shahmaran foi morta, as cobras ainda pensam que sua líder voltará um dia. O grande medo da raça humana é o de que as cobras descubram que Shahmaran foi morta, pois nesse dia haverá muita desgraça, já que as cobras cobrarão vingança contra os humanos.

Shahmaran, também chamada de mãe dos curdos, além de beleza e sabedoria, também é símbolo de fertilidade, por isso é comum nas tradições curdas a moça que está prestes a casar receber junto com o dote um quadro com a figura de Shahmaran, O quadro é pendurado no quarto do casal, para que o mesmo seja feliz e fértil.


                                                   

                Uma das versões de Shahmaran, o quadro está no Museu de Bergama, Turquia


                                        Ilustração do encontro de Shahmaran e Tahmasp



                                                      Outra versão de Shahmaran

sábado, 25 de junho de 2016

Igrejas cristãs em Diyarbakır

Já faz um tempinho que eu havia prometido escrever sobre as igrejas cristãs de Diyarbakır.
Sempre que se fala em igreja cristã na Turquia, a referência é a igreja cristã ortodoxa, igreja cristã do oriente (que possui um patriarcado como dirigente e que não reconhecem o Papa como autoridade) , ou a outros segmentos derivados dos ortodoxos. A igreja católica romana, igreja cristã do ocidente, cuja autoridade é o Papa, é quase inexistente na Turquia, existem poucas igrejas em Istambul e em Ancara.
Muitas igrejas foram construídas no final do século III DC na cidade. Essas igrejas eram muito visitadas por pessoas de diversas religiões e também ateus, que faziam seus pedidos (sobretudo a Santo Antônio) e promessas e, de acordo com essas pessoas, eram atendidos. Por essa razão as igrejas de  Diyarbakır costumavam atrair muita gente, por causa dos milagres e preces atendidas.
Uma das principais igrejas é a da Virgem Maria "Syriac" (Syriac era a língua dos sírios da antiguidade). Os sírios da antiguidade chegaram a Diyarbakır após passarem por Antioquia e Urfa, ainda no século 1 DC e implantaram primeiramente valores espirituais, depois culturais no cotidiano da cidade, influenciado até mesmo na arquitetura da cidade. A igreja da Virgem Maria é uma entre dez igrejas syriacs na localidade, tendo sido construída no século III DC, com inscrições cravadas em pedra e madeira. A igreja foi destruída várias vezes por terremotos, incêndios e ocupações ilegais, mas também restaurada outras tantas vezes. O Patriarcado Sírio mudou-se de Antioquia para o local em 1034 DC e serviu de centro do episcopado de Diyarbakır até 1933.
A igreja é muito bonita, mas o padre não tem boa vontade em permitir a visitação, muito menos que se tire fotos do interior, sugere o pagamento de ofertas para que as fotos sejam permitidas.
Outra igreja importante de Diyarbakır é a igreja Mar Petyun dos Caldeus, chamada de igreja de Santo Antônio, foi construída entre os séculos IV e V  DC, também foi restaurada diversas vezes, sendo que a última grande restauração aconteceu ainda no século XVII, e também foi sede do patriarcado por vários anos.
A terceira igreja visitada por mim foi uma igreja moderna, chamada  Diyarbakır Kilisesi (Igreja de Diyarbakır) de denominação protestante, localizada bem em frente à igreja da Virgem Maria.
Para quem visitar  Diyarbakır, não custa nada visitar uma dessas igrejas famosas em milagres e preces atendidas.



                                             
                                    Vista de parte da fachada da igreja Mar Petyun dos Caldeus


                                                 Interior da igreja Mar Petyun dos Caldeus
                                               

                                     Outra parte do interior da igreja Mar Petyun dos Caldeus
                                                 

                                                    Pátio da Igreja da Virgem Maria


                                              Pátio e entrada para a igreja da Virgem Maria



                                              Fachada da igreja protestante de Diyarbakır



                                                Interior da igreja protestante de Diyarbakır

segunda-feira, 23 de maio de 2016

Algumas curiosidades da Turquia e dos turcos

Devido a popularização das novelas turcas no Brasil (Mil e uma noites, Fatmagül e Sila), muitas pessoas passaram a se interessar pela Turquia e sua cultura. Por isso decidi escrever sobre algumas curiosidades a respeito do modo de vida e dos costumes turcos.Vou numerar os tópicos para ficar mais fácil diferenciar os assuntos.
1) Uma das coisas que mais me chamou a atenção no modo de vida da sociedade turca quando eu me mudei para esse país, como eu comentei no em um post anterior ( as novelas turcas na América Latina ) , é o fato dos turcos serem muito apegados à família. Na Turquia a pessoa casa e não passa a formar uma família a parte, ela passa a integrar uma família maior, que é composta pelos familiares do homem e da mulher. Os casais moram sim em casas separadas, na grande maioria das vezes, mas mesmo assim, as obrigações familiares (visitas protocolares, etc ) continuam e o entrosamento com as famílias deve existir. Caso não exista essa entrosamento, se o casamento não tiver muito amor poderá ser ameaçado, pois algumas famílias podem fazer a vida do casal impossível.
2) Quando o casamento for entre turcos e estrangeiros, o mais comum é o homem turco e a mulher estrangeira. Mas também acontece casamentos entre mulheres turcas e estrangeiros, embora menos comum. Normalmente a família turca tem boa aceitação pelo casamento com estrangeiros, desde que o estrangeiro se mostre uma pessoa flexível a aceitar os costumes turcos de uma maneira geral.  Algumas famílias mais conservadoras podem tentar convencer o estrangeiro a se converter  ao islamismo, mas a maioria das famílias turcas modernas respeita que o estrangeiro tenha sua própria fé.
3) O homem turco historicamente falando,costuma ter atração pelas mulheres estrangeiras, desde o tempo dos sultões, pois estes geralmente não tinham filhos com mulheres turcas, a grande maioria das concubinas dos sultões eram mulheres do atual leste europeu, cristãs , que eram capturadas como escravas e passavam a integrar o harém dos sultões.
4) Uma boa parte das mulheres turcas não trabalha e nem está interessada em trabalhar. Elas desejam mesmo é casar, ter filhos e um marido que as sustente. As turcas modernas,  e existem muitas, sobretudo nas cidades grandes, já pensam o contrário, querem ter uma carreira e combinar-la com a formação de uma família.
5) A educação turca geralmente é muito boa, a grande maioria das boas universidades é bilíngue, com aulas em turco e inglês.
6) Na Turquia era muito raro ver a presença de mendigos nas ruas, pois a classe pobre do país não é miserável. Atualmente existem mendigos nas ruas, sobretudo em Istambul, por causa dos refugiados sírios que não conseguem emprego, pois não há empregos suficientes para tantos refugiados no país, e passam a mendigar.
7) A Turquia é um país onde as pessoas normalmente vivem confortavelmente, o custo de vida não é alto, as casas possuem calefação para o inverno, diferentemente do sul do Brasil onde as pessoas podem ser ricas mas não possuem calefação condizente com o frio que faz. Outro ponto interessante é que a classe média normalmente possui máquina de lavar-louças em todas as casas. É raro ver uma casa que não possua uma lava-louças.
8) Os turcos costumam ser nacionalistas, o fundador da República turca, Mustafá Kemal Atatürk é um semi-deus, ninguém pode falar mal dele. O nome Atatürk, que significa pai dos turcos, é considerado um nome exclusivo, ninguém mais pode ser registrado com esse nome.
9) Um coisa importante para se conviver bem com os turcos é mostrar respeito pelas tradições deles.
10) Aqui faço um parênteses sobre essa questão dos casamentos entre estrangeiros para  dizer que, muitas pessoas não conseguem manter uma relação harmônica com estrangeiros, e não falo somente dos turcos, mas de estrangeiros  de uma maneira geral, porque esperam encontrar a forma de vida do Brasil e dos brasileiros em outras pessoas e em outros países. Isso nunca dá certo, quem vai morar e/ou casar com um estrangeiro deve saber, entender e aceitar que não vai encontrar a forma de vida brasileira em outro local e deve aceitar essa realidade, se adaptar e procurar viver da melhor maneira possível para que o relacionamento se torne viável. Em resumo, é como diz o ditado popular "Em Roma aja como os romanos" .
11) Voltando à Turquia, outra coisa interessante é que nas viagens de ônibus, um homem não senta ao lado de uma mulher e vice-versa, só se eles forem um casal, familiares ou conhecidos, ou seja , se você homem ou mulher comprar uma passagem de ônibus pode ter certeza que não sentará ao seu lado uma pessoa desconhecida do sexo oposto. Caso o ônibus esteja cheio e a última passagem for para uma pessoa sentar ao lado do sexo oposto essa passagem não será vendida e o lugar ficará vazio. Já nas viagens de avião não ocorre isso, pessoas desconhecidas do sexo oposto se sentam lado-a-lado.
12) Para os turcos um homem não ser circuncidado é algo inconcebível. A circuncisão é realizada não só por tradição, mas também por ser considerada ato de higiene masculina.
13) Apesar de 99% dos turcos professarem a fé muçulmana, o aborto é legalizado no país e visto como uma coisa normal.
14) Sobre o natal na Turquia escrevi um post anterior sobre o assunto: http://vida-na-turquia.blogspot.com.br/2010/12/natal-na-turquia.html
15) Sobre os banheiros já escrevi aqui: http://vida-na-turquia.blogspot.com.br/2010/04/toilets-la-turca.html
16) Turcos gostam de mulheres de estilo mais discreto, mulheres que riem alto, que demonstram um estilo mais despojado não costumam agradar os turcos e a família turca.
17) Na Turquia não existem motéis, existem hotéis, sobretudo nas cidades grandes que aceitam casais sem que os mesmos apresentem a certidão de casamento , como é exigido em algumas cidades menores.
18) Já que falei em casamento, o estrangeiro após 3 anos de casamento com cidadão turco pode pleitear a cidadania turca, desde que fale turco fluentemente. Na audiência de solicitação de cidadania o estrangeiro deve demonstrar que fala bem o idioma e muitas vezes é necessário que cante o hino nacional turco, como parte da avaliação.
19) Fazer o sinal de figa com a mão é o mesmo que mandar um turco para aquele lugar.
20) Quando um casal se casa ambos devem chamar os sogros de pai e mãe. Então teoricamente depois de casada a pessoa terá dois pais e duas mães.
A medida que eu for lembrando de mais costumes ou curiosidades vou postando mais.

As flores abaixo fotografei nos jardins de prédios na Turquia, para mostrar como o povo é educado e não arranca as flores dos jardins, jamais!






















terça-feira, 12 de abril de 2016

Novela Sila (Sıla em turco)

Tenho recebido muitos e-mails de pessoas que querem conhecer um pouco mais sobre a cultura turca, especialmente após a estréia da nova novela da Band : Sila
O que precisa ser entendido quando se fala sobre "cultura e costumes" turcos é que a Turquia é um país composto de várias etnias.  Esse assunto sobre etnias é um tanto complexo para nós brasileiros entendermos bem, já que no Brasil somos todos nacionais brasileiros e não temos uma etnia em si, somos miscigenados, nossa história demonstra bem essa questão. No entanto, em outros países, como na Turquia, existe o tema das etnias e as mesmas muitas vezes ocasionam conflitos políticos, ideológicos, culturais e territoriais.
A população da Turquia é composta em sua maioria de pessoas da etnia turca, em segundo lugar de cidadãos de etnia curda, porém todos são nacionais turcos. De acordo com alguns antropólogos e estudiosos, viveriam na Turquia cerca de 40 etnias diferentes.
Falando bem resumidamente sobre os curdos, essa etnia não possui um país (o Curdistão) e está espalhada pela Turquia, Irã, Iraque e Síria.
A Turquia tem muitos problemas com essa questão dos curdos, que possui um grupo considerado terrorista (PKK),  e que promove ataques no país para pressionar as autoridades turcas a entregarem a zona lesta da Turquia para que possam formar o Curdistão. Bem resumidamente a questão seria essa, logicamente que essa questão dos Curdos daria um artigo longo e complexo, pois o tema não é simples, envolve aspectos culturais, econômicos e políticos.
Mas o que os curdos têm a ver com a novela Sila? Expliquei esse tema porque Mardin e toda aquela área da Turquia faz parte da área reivindicada pelos curdos e a população daquela cidade é de maioria curda. Logo, todo aquele clã e aquela cultura mostradas na novela fazem parte do modo de vida de grupos curdos. Esclareço que nem todos os curdos vivem daquela maneira, apenas algumas comunidades vivem daquela forma como vive o clã do personagem Boran.
Outro exemplo que a novela Sila nos mostra sobre etnias diferentes é em relação ao personagem Abay, melhor amigo de Boran, que é cristão ortodoxo e de etnia suryani (etnia proveniente da Síria originariamente)
Outra coisa a se observar na novela é que as mulheres que cobrem os cabelos o fazem não por motivos religiosos e sim por motivos culturais, o que é bem diferente (vejam as fotos abaixo), já que as que cobrem por motivos religiosos não podem deixar que nem um fio de cabelo apareça, o que não acontece com as que cobrem por motivos culturais.
Sendo assim, a cultura que está sendo mostrada em Sila deve ser encarada como parte da cultura curda/árabe e não turca, embora todos sejam de nacionalidade turca.



                             Personagem Boran usando um lenço tipicamente usado pelos curdos/árabes


                              Um pouco mais de Boran para alegrar as seguidoras do blog :)



                Personagem Narin cobrindo os cabelos com um lenço tipicamente cultural e não religioso



                            Exemplo de mulher que cobre os cabelos por motivos religiosos



                   Outro exemplo de mulher cobrindo os cabelos por ser muçulmana


                      Família de Sila e Boran utilizando trajes típicos da cultura curda/árabe


* As fotos constantes deste artigo não são de minha autoria como sempre, e sim retiradas da internet.






sábado, 2 de abril de 2016

Feira de artesanato de Ortaköy

Já escrevi sobre o bairro de Ortaköy, em Istambul, anteriormente. Mas hoje gostaria de comentar mais sobre a tradicional feira de artesanato local que ocorre aos domingos. A feira é realmente muito interessante, existem muitos stands e lojas que vendem jóias, bijuterias, antiguidades, livros e vários tipos de artesanato. Tudo muito lindo e, muitas vezes original e exclusivo.No verão algumas bancas abrem todos os dias.
Na minha opinião um passeio a Ortaköy, e a sua feira de artesanato, é destino obrigatório para quem gosta de trabalhos manuais e de artigos exclusivos.
Outra coisa bastante interessante da feira são as máquinas que lá foram instaladas, pela prefeitura do bairro de Besiktas, onde se colocam garrafas pets de água mineral vazias e imediatamente porções de ração para cães são depositadas em comedouros para alimentar animais de rua. Se a garrafa estiver cheia, existe a opção de esvaziar a garrafa, também na máquina, e a mesma cairá em um bebedouro onde os animais poderão beber tranquilamente.  Essa máquina para mim é fantástica, uma excelente idéia para ajudar aos animais de rua muitas vezes sedentos e famintos. O Brasil e os demais países deveriam copiar essa idéia turca!





                                                           Vista de uma parte da feira

                         



                                                          Banca de colares artesanais


                                                     


                                                                    Mais colares



                                                 A artesã mostrando seu trabalho


                                                      Mais bancas e restaurantes


         Máquinas solidárias que recebem garrafas de água mineral usadas e despejam ração e água                  nesses bebedouros e comedouros para animais de rua.



                                                Detalhe da garrafa de água sendo depositada na máquina