Pages

quarta-feira, 6 de junho de 2018

Considerações sobre a vida na Turquia

Mantenho esse blog há 8 anos e sempre posto aspectos positivos e interessantes sobre a Turquia. No post de hoje resolvi ponderar sobre algumas questões que me incomodam no país.
Em primeiro lugar, para todos aqueles que pensam que a vida no exterior é só glamour, digo que nem tudo é purpurina, plumas e paetês. A vida do expatriado, conceito utilizado atualmente para definir quem mora por opção, trabalho ou necessidade em outro país, não é fácil. Quem opta por deixar seu país de origem não deixa só uma terra, deixa raízes, família, cultura e até mesmo a forma de se expressar fica para trás.
Todas as coisas mínimas do dia a dia, que se conquista em um país como a Turquia, com um idioma bastante difícil, é considerada uma vitória na batalha diária da vida. Por exemplo, conseguir abrir uma conta bancária, é uma tremenda vitória, pois alguns bancos estão optando por não abrir contas para estrangeiros. Um cartão de crédito então? Um luxo, só para estrangeiros que tenham um bom salário. Conseguir uma podóloga, uma faxineira, que falem inglês , outra vitória! E assim se vive.
Sobre a questão das faxineiras, as que falam inglês são geralmente filipinas e sabem muito bem cobrar pelo que oferecem: a possibilidade de uma comunicação correta entre patrão e empregado. E por isso mesmo são mais caras, cobram por hora.
Encontrar médicos que falem inglês aqui na Turquia não é um problema, até hoje nunca encontrei um medico que não dominasse o idioma. O problema são os enfermeiros e demais funcionários dos hospitais, esses só falam turco mesmo.
Em alguns bancos é possível encontrar funcionários que falem inglês , com página web do banco em língua inglesa inclusive.
O dia a dia aqui, se você não falar turco ou não tiver um turco te assessorando, pode ser bem complicado, até para coisas simples como, chamar um chaveiro, chamar a companhia para instalar TV a cabo e internet na sua casa. Sem um turco do lado, tudo vira uma fonte de stress.
Sobre a TV a cabo, sem querer fazer propaganda, existe uma grande companhia de tvs por assinatura cujos canais internacionais geralmente estão com som original, em inglês, com legendas em turco.
Uma coisa que me incomoda muito aqui é a falta de noção do espaço alheio que os turcos possuem. Se você está em uma fila, em uma escada rolante, no metrô, etc, pode ter certeza que um turco ou turca vai grudar em você, não respeitando o círculo invisível do espaço individual ao redor do nosso corpo.
Outra coisa que tenho pavor aqui, se você vai a um supermercado ou qualquer outra loja onde você tenha que passar por um caixa e a fila estiver grande, primeiro o turco vai colar em você, como se o fato de colar adiantasse algo. Depois, suas coisas serão passadas no caixa rapidamente, e você deve empacotar suas coisas e pagar na velocidade da luz, do contrário, o caixa já está atirando sobre as tuas compras os produtos do cliente que estava atrás de você na fila, pois você está sendo lerdo e demorando para empacotar tudo. Não existe a educação e a tolerância de esperarem você empacotar suas coisas para só depois então passarem as coisas do cliente que estava atrás. E se você demora um pouco mais para empacotar o caixa ainda pode te dizer: Anda rápido com isso, não tá vendo que tem gente atrás de você!!!
Coisa bastante chata acontece no metrô, normalmente os trens passam a cada 2 minutos, no máximo 5 minutos, em horários de pouco movimento, mas mesmo assim, as pessoas correm, quase te machucam, te empurram,  para não perder um trem que vai passar de novo 2 minutos depois! Incompreensível para mim essa atitude. Além disso você deve ficar no cantinho direito, ali apertado, na escada rolante, pois tem sempre gente correndo que sobe as escadas dessa forma. Se é para não utilizar o serviço da "escada rolante" por que não sobem pela escada normal?
Se você se casou com turco, acostume-se, a família dele sempre vai te tratar como a "yabanci" , ou seja, a estrangeira, e todos vão te considerar meio tonta, aquela que não sabe de nada, tudo o que você fizer, até mesmo um ovo frito, a sogra ou cunhadas vão considerar que você não sabe quebrar a casca do ovo direito. Você sempre vai estar errada. Elas sempre fazem melhor do que você, na cabeça delas.
Se você vier para Turquia para morar em Istambul, realmente a cidade é linda, maravilhosa e aqui tem de tudo, no entanto, o dia a dia pode ser bem trabalhoso dependendo de onde você mora e de onde vai trabalhar. Algumas vezes, se a pessoa não tem carro, pode ter que tomar 4 tipos de conduções para chegar ao seu destino. O carro também é problema pois a maioria dos lugares não tem local para estacionar e o trânsito é infernal em muitos pontos da cidade. Pode-se levar mais de 1 hora de viagem, em horário de pico, para fazer o trajeto desejado.
A cabeça dos turcos funciona dentro de padrões pré-estabelecidos para tudo. Por exemplo, você vai a uma loja comprar determinado objeto ou solicitar algum serviço, se você disser que não gosta de tal cor e gostaria que seu produto fosse da cor Y, o vendedor vai te dizer, mas  a cor Y não é boa, não fica bem para você, compre a cor X. Aí você diz, não mas eu quero o Y eu gosto. Aí já começa uma discussão, pois o vendedor não aceita que você queira o objeto da cor Y, na cabeça dele o objeto deve ser da cor X. Muito chato isso, você ter que sempre discutir para fazer valer seu desejo, caso ele não esteja nos padrões da cabeça turca.
Se você é mulher tem que atuar como as turcas, gritar sempre para ser ouvida. Caso você entre em uma discussão educada com algum turco esse nunca vai te considerar se você não der uns gritos e fazer chiliques. Exemplo, uma vez estava em um certo local e precisei ir ao banheiro. Me ofereceram um banheiro que tinha fezes até nas paredes. Eu disse desculpa mas esse banheiro não dá para entrar. Disseram que não tinha outro que se eu quisesse teria que usar aquele mesmo. Aí eu comecei a gritar e dar chilique como as turcas, dizendo que era um absurdo me oferecerem um banheiro daqueles, que eu era uma senhora de respeito, etc. No instante seguinte já estavam me oferecendo um banheiro limpo. É mulher e quer ser respeitada? tem que dar chiliques por aqui!
Por falar em banheiro, um costume das turcas quando frequentam banheiros públicos (de restaurantes e afins) é não olhar a sinalização que tem nas portas quando está trancado, ou seja, sendo usado, se vê um marcador vermelho, se está livre o marcador está verde. Elas simplesmente não olham entram, não trancam a porta e algumas fazem tudo com a porta aberta mesmo para todo mundo ver. E quando fecham, você chega, vê o sinal verde abre a porta e a cidadã está lá dentro e ainda te olha  de cara feia. Mas pior que isso é você entrar, trancar a porta e as turcas ficarem batendo na porta até você responder em turco que está ocupado (dolu), se você não responder ficam batendo. Uma vez não respondi, quando saí mãe e filha ficaram me xingando perguntando se eu era surda, porque não respondi quando elas bateram na porta. Eu simplesmente disse em inglês, Do you know to read? This red signal means occupied!! Ai elas responderam em turco só podia ser estrangeira mesmo!! Eu retruquei sim sou estrangeira algum problema ? As duas ficaram lá falando coisas que não entendi  e eu saí do local.
Outra coisa que acontece, também, em transporte público aqui, é entrar um casal com um bebe no colo da mulher, aí o pessoal, que nesse aspecto é cavalheiro, levanta e dá lugar para a mulher. Ela senta e passa o bebê para o homem que está em pé, para que as pessoas deem o lugar para o homem sentar também, afinal, ele agora está com o bebê no colo, logo, merece sentar. E o povo dá lugar para o malandro. Comigo não cola, eu olho para o outro lado finjo que não vi, mas não dou lugar para o homem, malandragem não se cria comigo.
Ponto negativo também acontece nos aeroportos. Você é obrigado a tirar o casaco na entrada do local, para passar no raio X , mesmo que esteja fazendo um frio abaixo de zero. Mas as mulheres de lenço na cabeça, essas não precisam tirar nada, entram com seus casacos e lenços em suas cabeças, não há controle sobre elas. Já as que não usam lenço só lhes resta mesmo é passar frio!
Enfim, esses foram apenas pequenos exemplos das dificuldades e do lado ruim que eu sinto aqui na Turquia. Não sou a dona da verdade, essa é a minha percepção dos fatos, pode ser que para muita gente o que descrevi acima não signifique nada. Mas para mim sim!







domingo, 18 de fevereiro de 2018

Mesquita Selimiye - Edirne

A mesquita de Selimiye, patrimônio cultural da Unesco desde 2011, está localizada na cidade de Edirne,  distante 250 km de Istambul, é considerada a mais perfeita obra do arquiteto otomano Mimar Sinan, ícone da história da arquitetura. Foi construída no período de 1569 a 1575, a pedido do Sultão Selim II, filho do famoso casal de sultões Suleyman e Hürrem. A construção é um complexo que, além da mesquita, conta com escola corânica, torre do relógio, mercado coberto, biblioteca e pátio interior e exterior. Os azulejos utilizados na decoração interior da mesquita são as chamadas cerâmicas de Iznik (cidade turca conhecida pela produção de cerâmicas e azulejos de excelente qualidade). De acordo com os estudiosos, a combinação da decoração interior com a harmonia de toda a estrutura do complexo é considerada obra prima da arquitetura mundial.
A mesquita Selimiye possui 4 minaretes , medindo 83 metros de altura, que já foram os mais altos do mundo.
Durante o cerco da Bulgária à cidade de Edirne, em 1915, a cúpula da mesquita foi atingida pela artilharia mas resistiu ao impacto e demonstrou a força de sua construção e design. Os danos não foram reparados porque Mustafá Kemal Atatürk, fundador da República da Turquia, ordenou que os mesmos não fossem consertados a fim de que as futuras gerações pudessem ver a falta de sensibilidade das guerras.


Vista exterior da mesquita com o esplendor dos seus 4 minaretes

Interior da mesquita

Detalhe da linda pintura do domo da mesquita


Interior da mesquita

Interior da mesquita

Pátio interno

Pátio interno

Detalhe da pintura de um dos pequenos domos do pátio interno

Pátio interno

Pátio externo

Vista da edificação desde o pátio externo

Mercado coberto que faz parte do complexo da mesquita Selimiye

Vista da mesquita com o cemitério localizado atrás da edificação

segunda-feira, 23 de outubro de 2017

Visitando a casa da personagem Fatmagül

Fiz uma visita ao local onde foi a casa da personagem Fatmagül, da novela turca de mesmo nome, e que foi sucesso tanto na Turquia como no Brasil. A casa está localizada no bairro de Beykoz, na localidade de Göksu, parte asiática de Istambul.
Chegar a casa onde foi filmada parte da trama turca não é tão simples. Embora no bairro todos saibam onde fica a casa da `Fatmagül`, é necessário ir com alguém que fale turco, para pedir indicações, pois é muito fácil ficar perdido. Pensando nisso, resolvi dar umas dicas para quem deseja visitar a localidade:
Para se chegar até o local, vindo da parte européia de Istambul, é mais fácil pegar um barco partindo de Eminonü ou Karaköy  até o bairro asiático de Kadiköy. Ao lado do pier dos barcos existem paradas de ônibus e lá se pega o de número F 15, descendo em frente ao campus da Universidade de Marmara, em Göksu (esse trajeto todo pode durar cerca de duas horas, dependendo da situação do trânsito na cidade). Alguns metros após a parada já é possível ver o pequeno rio Göksu, com vários restaurantes em sua margem, ao lado da antiga fortaleza Anadolu Hisari, de onde o sultão Fatih Mehmet partiu para conquistar Istambul em 1453.
Embora este cenário de Göksu tenha aparecido muitas vezes na novela, não é nessa parte do rio que está a casa da personagem Fatmagül. O acesso a casa fica em uma rua transversal a essa da parada de ônibus e da fortaleza, onde existe um posto de gasolina. Entrando nessa rua há uma boa caminhada até se chegar a um outro ponto de Göksu, onde tem outra ponte e um restaurante bem bonitinho à margem do rio. Ao lado desse restaurante, que não existia na época em que a novela foi filmada, está a casa da nossa querida personagem. A casa está abandonada, cheia de mato e pintada de verde, no entanto, é possível apreciar o local onde foram filmadas cenas memoráveis dessa linda novela.
Vocês poderão apreciar o local nas fotos que posto logo abaixo. Visitar a casa de Fatmagül não é um passeio para o turista tradicional e sim para os amantes das novelas turcas. 



Vista de Göksu da avenida principal do bairro


Vista da frente da casa da Fatmagül, que virou um estacionamento para os clientes do restaurante e do show room de peças de cerâmica


Frente da casa, desabitada e cheia de mato


Churrasqueira onde os personagens faziam churrascos


Entrada da garagem da casa, com a churrasqueira ao fundo, onde o personagem Kerim estacionava sua caminhonete


Vista do portão da casa para a rua


Porta da frente da casa da Fatmagül e sua família


Vista da frente da casa com o show room de cerâmicas ao lado




Vista de Göksu onde está localizada a casa às margens, após o restaurante



Local onde Kerim encontrou Fatmagül desmaiada encostada em uma árvore


Ponte  em que o personagem Kerim cruzou carregando Fatmagül desmaiada


O restaurante construído após a novela, ao lado da casa de Fatmagül


Local onde o personagem Emre, amigo do casal  Fatmagül e Kerim, limpava os peixes

segunda-feira, 24 de julho de 2017

Fonte alemã (Alman Çeşmesi ) -Istambul

Quando se visita a área do antigo hipódromo, no bairro histórico de Sultanahmet, em Istambul, é impossível não notar a beleza da fonte alemã. A fonte foi presente do imperador alemão Guilherme II, ao imperador otomano Abdülhamid II, para celebrar o segundo ano do aniversário de sua visita a Istambul, que aconteceu em 18 de outubro de 1898. A fonte foi construída na Alemanha e todas as suas peças foram transportadas para Istambul, sendo inaugurada em 27 de janeiro de 1901, data do aniversário do imperador alemão. O real motivo deste presente da Alemanha ao império otomano foram as negociações exitosas, na época, para a construção de uma uma ferrovia entre Berlin e Bagdad. A fonte foi construída em estilo neo bizantino, revestida de mármore e o domo de bronze.


fonte Alemã

Detalhe das colunas de mármore e do interior da cúpula

Cúpula com mosaicos dorados e finas pinturas

Vista da Fonte Alemã com a Santa Sofia ao fundo

domingo, 4 de junho de 2017

Efésio (Éfesus)

Éfesus ou Efésio foi uma importante cidade da antiguidade, localizada na chamada Ásia Menor, atual Turquia. De acordo com a lenda, a cidade teria sido fundada por uma tribo de mulheres guerreiras chamadas "Amazonas". Como a grande maioria das cidades da antiguidade, foi governada por diversos povos ao longo de sua história, como por exemplo os arzawas, os lídios, os gregos e os romanos.  Durante o período do domínio grego, a cidade viveu em grande esplendor, foi o berço de grandes filósofos, entre eles Heraclitus. As mulheres possuíam os mesmos direitos que os homens, tinham profissões respeitas na época, eram professoras e artistas. Um dos locais mais importantes da cidade era o Templo de Artemis, uma das sete maravilhas do mundo antigo.
Em 129 AC o império romano começou a governar a cidade, que se tornou um importante centro portuário (naquela época o mar banhava a cidade, mas com o passar dos séculos o mar foi se retraindo) e de comércio. Com a construção da biblioteca de Celsus, Éfesus se tornou a segunda escola de filosofia da região do Mar Egeu.
Com o surgimento do cristianismo, várias cristãos passaram a frequentar a cidade, o mais famoso deles foi o apóstolo Paulo, que chegou a pregar no grande teatro da cidade. Um dos mais importantes e conhecidos livros do Novo Testamento é justamente a carta de Paulo aos Efésios. O apóstolo João e a Virgem Maria teriam passado a viver na cidade após a morte de Cristo. Éfesus é uma das sete igrejas citadas na Bíblia, no livro de Apocalipse. Todas as sete igrejas estão localizadas na Turquia (já escrevi sobre as cidades de Laodicea,  Pergamo e Izmir /Esmirna ).
Após o cristianismo se tornar a religião dominante na região, houve um declínio na produção cultural e intelectual. As mulheres passaram a ter um papel secundário na sociedade , não sendo mais permitido o trabalho das mesmas como professoras e artistas. O imperador Teodósio mandou fechar grande parte das escolas e destruiu o Templo de Artemis. As colunas e demais materiais do templo foram usados na construção de igrejas.
A cidade foi decaindo aos poucos ao longo dos séculos e perdendo sua população e importância. No século XI os seljúcidas invadiram o local, que já não possuía quase habitantes.
Em 1304 os turcos otomanos tomaram posse de Éfesus e construíram a mesquita de Isa Bey, mudando o nome da cidade para Ayaslug.
Em 1402 as tropas de Tamerlán (turco-mongol) destruíram a basílica de São João e a Mesquita.
Éfesus se tornou patrimônio da Unesco em 2015.


A magnífica Biblioteca de Celsus

Avenidas de Éfesus


Detalhes artísticos das colunas e teto da Biblioteca de Celsus

O grande teatro

O grande teatro



Mosaicos presentes em várias edificações importantes na cidade


Auditório


Exemplo de edificação da cidade


Uma das ruas de Éfesus com decoração em mármore ao centro



Portão de Heracles

Templo de Adriano 


Avenida do cais do porto


Latrina pública


Na latrina pública da cidade os filósofos e autoridades muitas vezes conversavam e discutiam temas importantes da política e de filosofia


Igreja da Virgem Maria


Tanque batismal da igreja da Virgem Maria


Pia batismal central da igreja da Virgem Maria

terça-feira, 2 de maio de 2017

Demre - Cidade do Papai Noel

Quem pensa que a terra do Papai Noel é o Pólo Norte ou a Lapônia está totalmente equivocado, a terra do homem que inspirou a criação da figura conhecida como Papai Noel, é a cidade de Demre, na Turquia, há 145 km do balneário de Antalya, no sul do país.
No século IV DC, Demre era conhecida pelo nome de Myra, o bispo de Myra, que era amado pelos moradores da cidade, se chamava Nicolau, nascido em 270 DC, na cidade grega de Pataras, era filho de uma família muito rica e teria abandonado sua fortuna para dedicar-se à vida religiosa, tendo morado na palestina e no Egito antes de ser nomeado bispo de Myra. Nicolau foi perseguido e aprisionado pelo imperador romano Diocleciano, sendo libertado somente no reinado do imperador Constantino.
Nicolau morreu em 343 DC, e foi enterrado na igreja de Myra (Demre), onde ele fazia suas pregações, e que foi transformada em santuário após sua morte, quando foi canonizando Santo.
Marinheiros roubaram seus restos mortais em 1087 DC e levaram para a cidade italiana de Bari. No ano de 1100 DC uma parte de suas relíquias foram levadas para Veneza, onde se encontram até os dias atuais. Em 2009 a Turquia pediu a restituição dos restos mortais do Santo à Itália, não obtendo resposta  sobre o pedido.
Conhecido por suas boa ações, a bondade de Nicolau foi sendo contada de geração em geração, oralmente, em forma de lendas. A lenda mais conhecida conta que o Nicolau ficou sabendo que um pobre homem, que só possuía filhas mulheres, não tinha como arcar com os dotes para os casamentos das meninas. Como as janelas da casa estavam trancadas, Nicolau então teria subido no telhado e atirado moedas de ouro pela chaminé. As moedas teriam caído dentro das meias das meninas que estavam penduradas na lareira para secar.
A transformação da imagem do santo humilde e caridoso na figura do Papai Noel, meio elfo, com renas a puxar seu trenó, aconteceu por volta de 1800, na cidade de Nova York, quando um grupo de imigrantes europeus resolveu criar uma figura próxima das tradições das diversas igrejas existentes em homenagem a São Nicolau, que era então, um santo bastante conhecido na europa, sendo patrono da Rússia e da Grécia. Mas foi em 1930, quando a Coca-Cola começou a usar a imagem do Papai Noel de vermelho, com suas renas, a distribuir presentes pelas chaminés das casas, que a figura se popularizou e se transformou no que é hoje, uma figura bem distante do verdadeiro São Nicolau, Bispo de Myra, atual Demre.
Existe ainda no centro da cidade de Demre a igreja de São Nicolau, bastante frequentada, principalmente no mês de dezembro (o dia 6 é a data de sua morte), quando recebe milhares de turistas. Os fiéis vão até lá para agradecer a supostos milagres que teriam sido realizados por São Nicolau.
Em um passeio a Turquia não deixe de incluir uma visitinha Demre, vale muito a pena.





Estátua de São Nicolau, na entrada de sua igreja

Vista do comércio local de Demre, com suas lojinhas de produtos temáticos

Pracinha de São Nicolau


Interior da Igreja de São Nicolau

afresco na abóboda interior da igreja

Vista da fachada da igreja

Um dos corredores do templo, com seus afrescos que retratam cenas da vida do santo, sendo restaurados

Afrescos no interior da igreja

Tumba de São Nicolau vazia

Mais afrescos

Hall de entrada do templo

Afresco de São Nicolau, na entrada do templo